toda e qualquer coisa

Lançamento do livro Muchacha

Posted in Cultura by Thalita on setembro 29, 2010

Neste fim de semana tem tarde de autógrafos e lançamento do livro Muchacha, do Laerte. Será sábado, 02/10, das 14 às 20h, na loja Cachalote (Rua Ministro Ferreira Alves, 48).

Anúncios
Tagged with: , ,

Belle & Sebastian escrevem sobre amor

Posted in Música by Thalita on setembro 29, 2010

A banda escocesa Belle & Sebastian estréia um novo álbum agora em outubro e, para alegria dos fãs brasileiros, vai passar por aqui na turnê de lançamento. Gostei bastante da notícia, especialmente porque eles vão se apresentar no Via Funchal ao invés de ser em algum festival, o que pode significar preços não tão absurdos (espero).

O álbum se chama Write About Love, e terá 11 faixas, uma faixa bônus exclusiva para downloads e mais duas para a versão em vinil.

Estes vídeos (também no site oficial) mostram um pouco de como é o álbum:

O shows serão em São Paulo no dia 10 de novembro, no Via Funchal e no Rio de Janeiro, dia 12 no Circo Voador.

Tagged with:

Ah, pêras…

Posted in Comida, Cotidiano, Qualquer coisa by Herbert on setembro 25, 2010

Nada me é mais claro agora do que o estágio em que me encontro no ciclo da vida. Enquanto observava, no supermercado, um grupo de uns 30 jovens comprarem litros de cerveja, gelo e vodka, uns checando os outros rumo a alguma balada, lá estava eu, escolhendo belas pêras para saborear mais tarde.
Se fossem tomates, cebolas ou mesmo alhos, eu até poderia passar por um universitário que compra o básico para sua república. Mas eram pêras. Ninguém compra pêra por esse ser um alimento básico. Não, essa fruta é para um agrado a si mesmo, é cara e com certeza não passa na mente de ninguém muito jovem aproveitar uma boa oferta para poder cravar os dentes numa.
Isso é coisa de trintões, casados e que querem curtir uma noite de sábado com um bom filme, comida quentinha e, se pá, um vinho. Esse sou eu.

Tagged with: ,

Música prá casar

Posted in Música, Memória by Thalita on setembro 25, 2010

Eu até gosto um pouco e respeito muito música erudita, mas não tinha nada a ver eu casar com a Marcha nupcial de Wagner e Bolero de Ravel. O roteiro musical da cerimônia tinha que ser do nosso jeito. O trabalho foi conciliar os gostos musicais dos dois, escolher músicas que se encaixavam bem em cada momento da cerimônia e que ficariam legais no quinteto de cordas. Mas essa foi uma das funções mais divertidas da preparação do casório.

No meio dessa busca encontrei o Vitamin String Quartet, um grupo de músicos que criam versões em cordas para músicas populares (não-eruditas). Se você buscar na web vai encontrar um monte de versões, eles têm dezenas de álbuns e na Amazon dá para ouvir pelo menos um trecho de muitas das músicas. Eu fiz isso e ajudou bastante, apesar de não ter encontrado versão para todas as músicas que tinha escolhido.

Tínhamos que selecionar sete músicas, mas como para cada música “diferente” pagávamos um tanto a mais (para composição do arranjo, ensaio, etc.), então escolhemos somente cinco “diferentes” e as outras duas foram do repertório da orquestra mesmo.

As de repertório foram Moon river (do filme Bonequinha de luxo), para a entrada da daminha, e Here comes the sun (The Beatles), para os cumprimentos. As outras estão aqui embaixo.

Antes de mais nada eu preciso dizer que sou muito ligada em música, e na música em si muito mais que na letra.

Where is my mind?
do Pixies, versão para quarteto de cordas do Vitamin String Quartet, para a entrada do noivo e padrinhos.

As tears go by
do Rolling Stones, versão para quarteto de cordas do Vitamin String Quartet, para entrada da noiva.

Sea of love
Essa música foi originalmente gravada em 1959 por um cara chamado Phil Phillips, bem no jeitão anos 60 mesmo, e regravada (e transformada) muitas vezes por vários artistas, entre eles Iggy Pop, Robert Plant, Israel Kamakawiwo’ole e pela querida Cat Power, a versão que escolhemos foi a dela. Ainda bem que foi tocada só nas cordas, sem o vocal da Chan, porque senão o choro seria inevitável. Tocada na bênção das alianças.

Une année sans lumière
do Arcade Fire, versão também do Vitamin String Quartet, para os cumprimentos.

My wandering days are over
do Belle and Sebastian, tocada na saída.

Tagged with:

Doce engano

Posted in Comida, Cotidiano, Memória, Qualquer coisa by Herbert on setembro 20, 2010

Num jantar a luz de velas, comendo um delicioso chocolate italiano, feito com cacau de Madagascar e comprado na Finlandia (eita, globalização), começamos, minha mulher e eu (haha, coisa engraçada de recem-casado) a falar sobre doces que gostamos. Para minha total surpresa, um desses gostos dela é por bombom de chocolate com recheio de cereja, o que para mim é uma das maiores abominações já concebidas pela humanidade!
Lembro-me com perfeição de dar aquela mordida num bombom visualmente maravilhoso só para descobrir seu recheio líquido e viscoso sabor açúcar vermelho…oh, a decepção!!! Assim como o brigadeiro com coco que minha mãe trazia de seu trabalho, que coisa mais enojante, ser enganado dessa maneira: você espera o deleite máximo e descobre que aquilo que lhe é mais caro e sagrado foi corrompido. E eu nem vou falar dos bolos de aniversario que vinham dentro daquelas caixas de isopor com decoração da turma da Monica…

Tagged with: , ,

Boy meets girl, boy falls in love…

Posted in Filmes by Thalita on setembro 19, 2010

Vou falar de dois filmes que têm a mesma temática, aquela dos filmes românticos no qual um garoto conhece uma garota especial e se apaixona. Mas o que torna esses dois filmes especiais é que em ambos os casos há uma subversão da trama convencional e cheia de clichês que te faz vivenciar aquela mesma história de um ponto de vista bem diferente. Ia falar mais, mas por serem diferentes, acho que vale mais a pena assistir e depois comentem o que sentiram aqui.

(500) days of Summer
Com os atores Joseph Gordon-Levitt e Zooey Deschanel, dirigido por Marc Webb. Gostei bastante da edição não-linear do filme que agregou muito à história. A trilha sonora parece ser bem legal.

Youth in revolt
Com Michael Cera, no que parece em princípio mais um dos seus persongens “looser”, Zach Galifianakis, Justin Long, Portia Doubleday, Steve Buscemi e Ray Liotta. Este já é um filme mais cômico e rompe com os clichês de uma forma diferente do 500 dias.

Tagged with:

Samurai

Posted in Comida by Thalita on setembro 11, 2010

Um os nossos lugares favoritos para comer na Liberdade é o restaurante Samurai. É tradicional (tem 40 anos!), bom, barato e fica aberto até tarde. E para quem curte cantar, no andar de cima rola um karaokê.

Sempre pedimos o Teishoku Especial, que vem muita comida, suficiente para duas pessoas saírem bem felizes (e rolando), e ainda custa só 49 reais. É um prato bem completo, sempre vem uma porção de sashimis e sushis, missoshiro, tempurá, arroz, anchova grelhada, uma sopinha tipo um lamen que eu adoro e também vem outras coisas que variam, tipo umas conservinhas, tofu com gengibre, robata e outros pratos.

Restaruante japonês Samurai Liberdade
aqui tem tudo o que vem, menos a porção de sashimis

Restaruante japonês Samurai Liberdade
que é esta aqui

Restaruante japonês Samurai Liberdade
a robata de frango é um dos pratos que variam

Vai lá:
Restaurante Samurai
Rua da Glória, 608 – Liberdade (São Paulo, SP)
segunda a sábado, das 19 às 3h

Tagged with:

Para San Genaro eu vou

Posted in Comida, Cotidiano, Qualquer coisa by Herbert on setembro 5, 2010

Ontem, sábado, foi dia de fogaza, macarrão e vinho (ruim). Perdi a Acherupita, mas não perdi a festa de San Genaro e vou falar, achei melhor: bem menos cheia e as comidas são melhores. Bem acompanhado, então, foi um must e deverá ser repetido!

Festa de San Genaro, todo fim de semana, até o dia 10 de outubro.

Tagged with: ,

Buenos Aires – parte I

Posted in Comida, Viagem by Thalita on setembro 3, 2010

Assim que chegamos ao hotel em Buenos Aires, fomos descansar, era necessário, afinal casar é muito legal (recomendo!) mas dá muito trabalho.

Nossa primeira sensação veio do frio, os relógios marcavam 1˚C, mas apesar disso a temperatura parecia agradável. A cidade é bem fria no inverno e também é bem úmida, o que foi ótimo para quem vinha de São Paulo.

Buenos Aires-Avenida de Mayo
Acesso à estação de metrô, estilo Art Nouveau – uma graça!

Ficamos hospedados no centro, junto ao obelisco que é o grande monumento da cidade, um lugar ótimo para ficar pois tem bastante opções de serviços e lugares para conhecer.

Buenos Aires noite
Casa Rosada e Avenida de Mayo com o obelisco ao longe

Depois do descanso e o passeio no centro, fomos jantar. Bife ancho con aderezos: salada, papas fritas e sabor (bacon e ovo frito). E é claro, vinho para acompanhar – em Buenos Aires, sempre – e esse ainda vinha com uma garrafa a mais, prá levar pro hotel e ser feliz.
Buenos Aires - La Cocina del Nono 1
Regra em restaurantes: pratos fartos e ambiente aconchegante

Buenos Aires - La Cocina del Nono
A comunicação visual no estilo do filete

Dia de turista
Ponto turistão obrigatório: Plaza de Mayo – palco das manifestações políticas mais importantes do país, e a sede do governo – a Casa Rosada.

Buenos Aires - plaza de mayo
Plaza de Mayo, Casa Rosada

Próxima parada: o bairro La Boca, onde fica o estádio do Boca Juniors – La Bombonera – e o Caminito.

O Caminito é uma rua-museu onde é preservado o estilo das moradias tradicionais do bairro – casas de madeira e de chapas metálicas pintadas em diversas cores vivas. Segundo o guia, por falta de recursos, os antigos moradores pintavam suas casas com restos de tintas usadas para pintar as embarcações do porto que fica junto ao bairro.
Buenos Aires - Caminito
Caminito…

Buenos Aires - La Boca
e arredores

Buenos Aires - Puerto Madero

Buenos Aires - Puerto Madero
Puerto Madero

Puerto Madero, junto ao Rio da Prata, é o centro de negócios e símbolo modernoso portenho, cheio de empresas multinacionais, hotéis de luxo, e onde se encontra os melhores restaurantes da cidade. Um grande contraste com o resto da cidade, onde as construções históricas no estilo europeu predominam.

Quem converte se diverte
Não chegamos a comer em nenhum restaurante de Puerto Madero, vai ficar para a próxima, mas lá se gasta em torno de 100 pesos por pessoa para comer bem – restaurante bacana, ambiente bacana e comida muito boa. Mas dá para comer e beber muito bem com muito menos em Buenos Aires. À noite fomos num bar no centro da cidade e com 80 pesos pagamos uma porção de fritas, duas empanadas de carne, uma porção de lulas empanadas (que estavam uma delícia) e ainda mais dois chopps Quilmes para cada. Fazendo o câmbio: R$ 20 por pessoa.

Buenos Aires - Barbaro

Buenos Aires - Barbaro
O bar “Barbaro” e a porção de “rabas fritas” (a gente chama de lula a dorê)

Tagged with: , ,